A prova de redação da Unicamp

Olá, pessoal! Tudo bem com vocês? Essa semana vou escrever sobre a prova de redação da Unicamp. Sou um pouco suspeita para falar da Unicamp, porque sou formada lá e posso dizer que foi uma experiência maravilhosa ter a oportunidade de estudar nessa universidade. Pela proximidade que tenho com a Unicamp e pela profissão que exerço no business da redação, sempre participo de uma oficina que a Comvest (órgão responsável pelo vestibular da Unicamp) oferece a professores para discutir a prova de redação. E como muitos devem saber, faz dois anos já que a prova de redação da Unicamp apresenta um formato diferente.

Antigamente, a Unicamp apresentava três temas em três gêneros diferentes que sempre eram os mesmos: dissertação, narrativa e carta. O candidato escolhia um gênero e fazia a sua redação. Há dois anos, porém, a Unicamp inovou e propôs um novo formato em que o candidato tinha que fazer obrigatoriamente três textos de gêneros diferentes, sem saber quais seriam os gêneros cobrados. Isso foi até 2011, mas devido ao problema do tempo, dali adiante, a Unicamp está cobrando dois gêneros apenas. Toda essa mudança, de fato, assustou bastante os estudantes que estão muito mais acostumados com a dissertação, que é basicamente o que a maioria das universidades exige em suas provas de redação no vestibular.

Feita essa breve contextualização, começo dizendo que não há motivos para entrar em pânico. Você que quer ir bem na redação da Unicamp, não precisa decorar absolutamente todos os gêneros textuais existentes no mundo, porque assim você vai ficar louco! Ninguém nem sabe quais são todos os gêneros, então, gaste seu tutano para decorar outras coisas mais importantes, ok? =)

Então, qual seria a estratégia para ir bem na prova de redação da Unicamp? Primeiramente, você precisa ser um bom leitor, antes mesmo de um bom escritor. Uma pessoa que lê bastante e de diversas fontes e, portanto, diversos gêneros, está preparada para fazer a nova prova de redação da Unicamp. Quem nunca leu uma entrevista, ou um fórum na Internet? Quem nunca viu como é o formato de uma carta ou de um editorial? Os gêneros estão aí no mundo e cabe a nós como leitores entender as diferenças “naturais” entre um e outro. Na hora de fazer a redação da Unicamp, você precisa se lembrar de sua “experiência de leitura” e confiar no seu conhecimento acumulado ao longo dos anos. 

Daí alguém pode estar perguntando: “Mas ano passado caiu verbete! E eu lá sei o que é um verbete?”. Pois bem, garanto a você que mesmo não sabendo o que é um verbete, se você for um bom leitor também na hora da prova, pode se sair bem na redação da Unicamp. Daqui a pouco eu vou provar isso dando um exemplo para ficar mais claro.

Além de um bom leitor, você tem que saber seguir instruções. As propostas da Unicamp são sempre muito bem detalhadas e instruem o candidato daquilo que ele deve fazer no texto. A Unicamp não vai mandar você escrever um verbete do nada, sem dar nenhum suporte. Na proposta você tem “dicas” para caracterizar bem o gênero solicitado e o seu interlocutor. Além disso, há tarefas explícitas que você deve cumprir em seu texto. O interlocutor seria o “para quem você escreve”, o que faz toda a diferença em uma redação, não é mesmo? Vamos lá, então, ao exemplo que prometi. Vejam uma parte da proposta do verbete que caiu na Unicamp no vestibular do ano passado (os negritos e cores fui eu que coloquei):

 

Imagine-se na posição de um leigo em informática que, ao ler a matéria Cabeça nas nuvens, reproduzida abaixo, decide buscar informações sobre o que chamam de computação em nuvem. Após conversar com usuários de computador e ler vários textos sobre o assunto (alguns dos quais reproduzidos abaixo em I, II e III), você conclui que o conceito é pouco conhecido e resolve elaborar um verbete para explicá-lo. Nesse verbete, que será publicado em uma enciclopédia on-line destinada a pessoas que não são especializadas em informática, você deverá:

definir computação em nuvem, fornecendo dois exemplos para mostrar que ela já está presente em atividades realizadas cotidianamente pela maioria dos usuários de computador; 

apresentar uma vantagem e uma desvantagem que a aplicação da computação em nuvem poderá ter em um futuro próximo. 

 

Vou fazer uma breve análise. Você não sabe o que é verbete? Tudo bem! Mas depois de ler essa proposta fica alguma dúvida? Comecemos pelo que está destacado em azul. Mesmo que você não saiba o que é um verbete, você deve ter tido contato com uma enciclopédia on-line, não? Quem nunca abriu uma página da Wikipedia, por exemplo? Um texto enciclopédico é um texto que deveria ser conhecido pela maioria das pessoas. Você sabe que o texto enciclopédico tem o objetivo de instruir e não de convencer as pessoas de alguma coisa. Sabe também que não deve usar a primeira pessoa. Isso é básico, não? E é exatamente esses cuidados que você deve ter para caracterizar esse gênero em sua redação.

 Agora vamos para os destaques em vermelho. Aí você tem informações sobre a interlocução. Você precisa “entrar no personagem” para escrever sua redação da Unicamp. Então, você deixa de ser mais um candidato a uma vaga concorrida e passa a ser um leigo em informática que vai escrever um texto para pessoas que estão no mesmo barco que você. Em termos práticos, isso quer dizer que você não vai usar uma linguagem técnica, cheia de conceitos difíceis, pois você e o seu leitor são leigos, ou seja, não são especializados no tema em questão que é computação em nuvem. Além disso, trata-se de um interlocutor que não é específico, por isso você não deve interagir com o leitor em nenhum momento.

Por fim, trazemos um comentário sobre a parte em verde. Se em algum momento você ficar pensando sobre o que deve escrever na redação e planejar escrever qualquer coisa que vier na sua cabeça de forma aleatória, você está errado! Na prova da Unicamp você tem que cumprir as tarefas que eles pedem. Não tem como ser mais específico que isso, tem? É muito simples: quem cumpre a tarefa por completo se dá bem e quem acha que pode falar o que vier na cabeça se dá muito mal.

É claro que a qualidade da sua escrita, a organização e clareza do seu texto e a correção gramatical também contam na nota da redação da Unicamp, mas reitero que se você é um bom leitor, conseguirá tirar uma nota, pelo menos, na média na prova de redação da Unicamp. Daí para obter uma nota acima da média vai depender de quão bem você cumpre as tarefas apresentadas na proposta.

Percebam que esse estilo de proposta da Unicamp pode ser, muitas vezes, mais fácil que uma dissertação, por exemplo, em que você tem muito menos diretrizes para começar e terminar o texto. As propostas da Unicamp são quase que à prova de bloqueio criativo =) Eles querem selecionar bons leitores que são antenados no mundo em que vivem e que são capazes de se expressar a partir de uma tarefa bem detalhada.

Espero ter ajudado você a ficar com um pouco menos de medo da prova de redação da Unicamp. Se puder, leia as propostas dos outros gêneros que já foram cobrados e procurem ler também as redações acima da média para cada gênero. Você vai ver que não é preciso ser um Carlos Drummond de Andrade para ir bem na redação da Unicamp.

Por hoje é só! Até semana que vem =) E se você curtiu esse post, compartilhe com seus amigos. Abraços a todos!

 

4 Comments

  1. Muito obrigado pelo post! Instruções claras e tranquilizantes^^ Parabéns.

  2. Muito bom aprender essas estratégias para a prova da Unicamp, que estarei prestando nesse domingo(11/11) para o curso de Computação.
    Nas aulas de redação que tive no cursinho, a prof. abordou os temas da Unicamp 2012, ela também exaltou o fato de a Unicamp oferecer boa base para começar a redação, mas também para as exigências que OBRIGATORIAMENTE devem ser cumpridas. Excelente postagem, tenho certeza que irá ajudar muita gente.

    Estou muito ancioso para a prova de Domingo, desejo a todos uma ótima prova!

  3. Muito obrigada pelo post :D
    Ficou muito bom. e ajuda muito também :)

  4. muito bom o post.brigado.

Deixe uma resposta