Olá a todos!
            Qual gênero cairá na prova da Unicamp esse ano? Essa é uma pergunta que todos os vestibulandos que passam para a segunda fase da Unicamp fazem! E nesse ano a Unicamp pediu para que os alunos elaborassem uma resenha e um artigo de divulgação científica.
            Esses gêneros não são desconhecidos dos alunos, pois circulam na esfera social. Ou seja, vemos resenhas e textos de divulgação científica publicados em jornais, sites da internet, revistas, blogs: são textos que existem na sociedade e não apenas restritos ao ambiente escolar. Dessa forma, se o aluno é um leitor assíduo, com certeza ele já deve ter lido exemplares desses gêneros. Vemos, assim, que o perfil de aluno desejado pela Unicamp é um aluno leitor.
            Para efeito de organização deste post, vamos falar das duas propostas concomitantemente, focando o propósito, a interlocução e os aspectos do gênero de cada uma. Comecemos pelo PROPÓSITO.
            No texto 1, o candidato deveria escrever uma resenha para um concurso organizado pelo Centro de Estudantes. Nesse texto, obrigatoriamente, deveria constar um breve resumo da obra resenhada para a contextualização. Aliás, a síntese já faz parte da estrutura do gênero resenha. Além disso, o candidato deveria, no desenvolvimento do texto, criar uma situação social que tivesse relação com a situação narrada na fábula. Para isso, o candidato poderia dar exemplos retirados da sua experiência de mundo. Poderia, por exemplo, falar de alguma situação vivida em sala de aula em que todos têm ideias, mas ninguém quer colocá-las em prática e relacionar com o texto da fábula, mostrando como ela apresenta situações que ainda acontecem na vida social. A proposta do texto 1 também explicita como deve ser feito o fechamento do texto: o candidato tem que retomar a temática da fábula. Uma boa possibilidade para fechar a resenha é retomar a moral da fábula e relacionar com o fato narrado no desenvolvimento.
            Vemos, assim, que as tarefas presentes nessas propostas se configuram como uma espécie de projeto de texto, em que já há instruções de como deve ser o início, o desenvolvimento e a conclusão. Isso também ocorre no texto 2, no qual o candidato deveria elaborar um texto de divulgação científica para explicar os processos de indução das emoções. O candidato, nesse texto, deveria, a partir do texto-fonte, explicar o que são os indutores de emoções por meio dos exemplos que constam no 2o. e 3o. parágrafos. O candidato precisaria elaborar também uma breve narrativa para elucidar como se dão os processos de indução das emoções. Nessa narrativa, o candidato pode falar de determinadas situações que ficam na memória das pessoas ou de objetos que as pessoas apegam ou querem distância. Após isso, é preciso finalizar o texto e, assim como no texto 1, também retomar as ideias principais do texto fonte.
            Em relação à INTERLOCUÇÃO, é muito importante que o aluno tenha em mente se o gênero a permite ou não. Na resenha não é permitido que haja a construção da interlocução, ou seja, não deve haver uma conversa com o leitor. O uso da primeira pessoa no singular é permitido, pois se trata de um texto subjetivo, em que deve haver o posicionamento do autor em relação à obra. No texto de divulgação científica, no entanto, não há o uso da primeira pessoa do singular, pois se trata de um texto mais objetivo e com caráter informativo. Porém, há textos de divulgação científica, principalmente aqueles voltados para os públicos infantil e jovem, em que há a presença de pronomes pessoais do caso reto como “você”, “nós”. Como na proposta pede-se para que o candidato escreva um texto para o público do ensino médio, não há problema em estabelecer esse tipo de interlocução.
            A respeito do GÊNERO, observamos que as tarefas presentes nos propósitos já dão dicas da estrutura de cada um dos gêneros pedido na prova. É típico da estrutura da resenha ter uma síntese da obra a ser resenhada, por exemplo. Em relação ao gênero do texto 2, este tem como função social divulgar os resultados e as conclusões de pesquisas científicas para um público leigo. Assim, uma forma de conseguir isso é relacionar os dados das pesquisas aos exemplos da vida cotidiana e isso era pedido no propósito. Caso o aluno não fizesse isso, poderia perder pontos nos critérios de propósito e gênero.
            Nos dois textos também há instruções para elaboração do título, elementos fundamentais da estrutura desses gêneros. Na resenha, o aluno deveria escrever um título no qual haveria uma referência à obra a ser resenhada e, no texto de divulgação científica, o aluno deveria elaborar um título que tratasse do tema do texto-fonte.
            Após essa explanação acerca da prova de redação do vestibular da Unicamp 2016, você pode notar que, com uma leitura atenta da proposta, boa compreensão das tarefas e conhecimento da estrutura dos gêneros, o candidato consegue fazer a prova de redação sem nenhum problema. Mas, para isso, é preciso se preparar bem: ser um bom leitor e praticar muito a escrita!
Profa. Fernanda

Treine redação online para o Enem em nossa comunidade gratuitaTenha seus textos corrigidos por membros da comunidade e melhore seu resultado semana após semana.