Olá, vestibulando!

Como prometido há duas semanas, vamos começar a dar algumas dicas de filmes para você assistir agora nas férias ou naquela pausa dos estudos. É fundamental que você assista filmes mais descompromissados, digamos assim, com uma temática leve, para rir ou chorar um pouquinho, pois isso ajuda a descansar a mente. Porém, é igualmente importante ver filmes que provoquem alguma reflexão ou que exijam um trabalho maior de interpretação, pois isso o ajuda a construir um repertório de conhecimentos e a estabelecer novas relações.

Hoje, vamos indicar dois filmes que podemos relacionar a uma boa escrita, pois eles têm um excelente projeto de texto.

As narrativas são geralmente construídas de forma linear, de maneira simples, com a introdução da história, o clímax e o desfecho organizados de forma cronológicas. Porém, há muitos filmes que desenvolvem sua narrativa de outras formas, com um projeto de texto específico, pois a intenção não é apenas contar uma história, mas principalmente surpreender o espectador.

O filme argentino O segredo dos seus olhos é um bom exemplo disso. No filme, um oficial de justiça, Benjamim Esposito, após se aposentar, decide escrever um romance sobre um crime que marcou a sua vida. A história é contada de maneira irregular, combinando o presente do oficial aposentado, com o passado em que o caso ocorreu, por meio de flash backs. A narrativa do filme por vezes se confunde com a narrativa do romance de Esposito e nos leva a caminhos surpreendentes, que jamais poderíamos imaginar para essa história.

Outro filme que constrói sua narrativa de um modo particular é o filme francês Bem me quer, mal me quer, com Audrey Tatou e Samuel Le Bihan. Não podemos contar muito sobre o filme, pois corremos o risco de estragar as surpresas que ele traz. O que podemos dizer é que a narrativa é construída a partir de diferentes perspectivas, demonstrando, assim, que uma história sempre pode ser contada de diversas maneiras, mesmo por aqueles que viveram a mesma história. Aqui também vemos um projeto de texto específico, cujo objetivo é desconstruir o que o espectador foi interpretando ao longo da narrativa para surpreendê-lo.

Esses são apenas dois exemplos desse tipo de filme que procura não apenas contar uma história, mas também contar uma história de diferentes maneiras, em que o próprio ato de narrar produz sentidos, interferindo na sua interpretação.

Na semana que vem continuamos com mais dicas. Boa sessão para vocês!

Profa. Danusa

Shares

Compartilhe!

Basta 1 clique para compartilhar este conteúdo com seus amigos!

Shares