Olá, vestibulando
Dando sequência à nossa discussão sobre o bom emprego dos recursos coesivos em busca de uma redação bem construída, hoje vamos observar como a falta deles pode tornar nossa produção escrita circular e repetitiva.
 
settings_3_filledComo já dissemos no post anterior, trabalhar satisfatoriamente a coesão de nosso texto não significa apenas conhecer conectivos variados. É preciso empregá-los adequadamente, evitando repetições. Além disso, outros mecanismos nos permitem a construção de uma redação coesa, como o uso de pronomes, as elipses ou ainda a utilização de sinônimos, demonstrando domínio lexical e, por consequência, da norma padrão. Soma-se a isso a pontuação adequada, pois falhas nesse sentido também podem dificultar a compreensão das ideias abordadas, comprometendo tanto a coerência quanto a coesão.
 
xlarge_icons_filledTomemos como base uma dissertação que segue a proposta da UNICAMP, do ano de 2008, cuja temática exigida para a argumentação do candidato era a saúde pública, mais especificamente os desafios que o Estado enfrenta para implantar ações de caráter preventivo.
https://www.comvest.unicamp.br/vest_anteriores/2009/download/comentadas/fase1.pdf
 
cancelA redação a seguir, por não abordar todos os critérios exigidos pela proposta, restringindo-se à questão dos diagnósticos e das filas de espera relacionadas aos atendimentos, foi anulada. Sob a perspectiva da coesão, podemos observar que este item é também bastante problemático no texto, uma vez que os parágrafos parecem ser quase “independentes”, não relacionando suficientemente as ideias entre si:
 
A situação da saúde pública brasileira
A saúde pública no Brasil é precária, mas porque grande parte da verba que é destinada para esse fim acaba tomando um rumo diferente, e isso acabra prejudicando as pessoas que não tem condições de arcar com as despesas de um convênio ou consultas particulares.
Essa situação é ridícula porque afinal de contas a maior parte da população brasileira é pobre. E como essas pessoas ficam? É claro que elas terão que esperar meses por uma consulta, e isso quando não morrem antes de serem atendidas.
As vezes quando alguém precisa fazer algum tipo de exame os hospitais públicos não dispõem dos aparelhos necessários para tal exame e essas pessoas, mesmo sem condições pagam para fazê-los ou não fazem.
No Brasil tem gente precisando fazer cirurgias ou transplantes de algum órgão, mas essas pessoas acabam morrendo na fila de espera ou até tendo problemas piores por não ter feito tal cirurgia ou transplante.
O Brasil tem condições de ter melhoras na saúde, basta o Estado querer, investindo em aparelhos e em tudos que os hospitais precisarem, porque com essa melhora toda a população será beneficiada.
O Brasil não está perdido e se a saúde pública melhorasse suas condições ele seria melhor visto não só pelos brasileiros, mas pelos outros países tambem.
O Brasil está precisando apenas da colaboração do povo brasileiro é dos seus governantes para sair dessa situação em que se encontra a saúde pública.
 
fragileAo fazer a leitura dessa redação, podemos claramente ver a fragilidade do projeto de texto, já que não há uma linha estratégica de raciocínio, tornando a argumentação circular. O candidato, por várias vezes, retorna à questão das filas e da ineficácia dos atendimentos, não dando continuidade à discussão.
Com relação aos elementos coesivos, é possível encontrar algumas retomadas de conceitos, como no segundo parágrafo, que se inicia com “essa situação”, além de alguns conectivos, embora pouco diversificados, como o uso insistente de “mas”. Fora isso, pouco foi feito para relacionar as ideias entre si, o que é comprovado pelos quatro últimos parágrafos, todos iniciados com o termo “Brasil”. Logo, tanto a falta de vocabulário diversificado quanto a escassez de recursos coesivos corroboram a vulnerabilidade dessa argumentação.
 
pencilMas como devemos, então, melhorar a escrita? Vejamos algumas alterações que poderiam ser feitas nos três primeiros parágrafos, em vista de uma escrita mais clara, objetiva e menos repetitiva.
 
A saúde pública, no Brasil, é precária, sobretudo por grande parte da verba que é destinada para esse fim tomar um rumo diferente, prejudicando as pessoas que não têm condições de arcar com as despesas de um convênio ou de consultas particulares.
Essa situação é ridícula porque, afinal de contas, a maioria da população brasileira é pobre. E como essas pessoas ficam? Certamente terão de esperar meses por uma consulta, se não morrerem antes de serem atendidas.
Com relação às falhas no atendimento, às vezes é preciso fazer algum tipo de exame, mas os hospitais públicos não dispõem dos aparelhos necessários para realizá-lo; logo, os pacientes, mesmo sem condições, pagam para fazê-los, ou então não fazem.
 
for_beginner_filledPercebeu, vestibulando, como é possível trocar palavras, ou mesmo suprimir algumas delas, e deixar a leitura mais fluida? Veja que algumas expressões como “é claro que”, mais condizente com o universo coloquial, pode ser substituída por “certamente”, adequando melhor o texto à norma padrão da Língua Portuguesa. A inserção de conectivos variados, além disso, fez com que as opiniões ficassem mais bem conectadas, permitindo ao leitor acompanhar o raciocínio de quem escreveu a redação.
E com relação ao final do texto, o que fazer com tantas referências a “Brasil”? Qual a sua ideia para organizar melhor esses parágrafos?
 
Que tal tentar fazer isso agora mesmo? Aceite esse desafio e exercite sua escrita!
 
Bom trabalho e até a próxima!
Profª Aline

Treine redação online para o Enem em nossa comunidade gratuitaTenha seus textos corrigidos por membros da comunidade e melhore seu resultado semana após semana.