Olá, Vestibulando!

Hoje vamos falar sobre a tese para a redação do ENEM, um dos temas que mais deixa os estudantes em dúvida. Afinal, do que se trata a tese e como fazer para adequá-la à redação?

A palavra tese vem do grego e significa proposição intelectual: é a ideia central do texto, aquela que vai conduzir a argumentação e refletir o que vai ser defendido por toda a redação. Deve ser explícita na introdução do texto e não deve conter a opinião pessoal do candidato! 

A redação do modelo ENEM solicita ao estudante que produza um texto dissertativo-argumentativo, o que significa dizer que é preciso produzir argumentos, por meio das ideias a respeito do tema proposto, que levem o leitor (no caso, o avaliador da redação) a interpretar tais ideias como válidas para a defesa da argumentação de maneira neutra, ou seja, o leitor pode até não concordar com a ideia, mas ele reconhece que aquele argumento é possível. Para isso, é preciso selecionar previamente uma ideia principal, a que vai nortear todo o restante da produção textual.

Quando queremos pedir algo a nossos pais e sabemos que não será fácil convencê-los, utilizamos de argumentos como “eu vou lavar a louça depois do jantar”, ou “não vou ficar conectado à internet a noite toda” e ainda “vou estudar e melhorar minhas notas”, não é verdade?

Pois isso é o meio pelo qual estamos defendendo a nossa tese, a de que nossos pais devem nos deixar fazer o que pedimos a eles. Os argumentos foram selecionados a partir do critério de que são atitudes que nossos pais aprovam, ainda que não nos agradem tanto. Então, se você consegue argumentar e convencer as pessoas a fazer algo, você pode convencer o leitor da redação do ENEM de que o seu texto é excelente. 

Mas não basta simplesmente ter uma boa quantidade de ideias e inseri-las no texto de qualquer maneira, é preciso que elas estejam organizadas, para que o leitor consiga construir sentido com o que está sendo tratado.

Imagine se você vai ao médico e diz a ele que está com dor na cabeça e recebe uma prescrição de remédio para dor de estômago? O resultado pode agravar a dor de cabeça e ainda criar outro problema no estômago. A mesma coisa ocorre na produção de textos argumentativos. Não adianta ter uma boa ideia, se ela não está de acordo com o que o tema solicitou. 

Então, como fazer para não cair em uma armadilha? Assim como os animais procuram se esquivar dos caçadores por meio da cautela ao caminhar em determinados locais, o candidato deve ter muita cautela ao selecionar as ideias e os argumentos que vão guiar a construção da redação.

Por exemplo, em um tema que trate sobre o combate à desigualdade social no Brasil, uma boa tese seria a defesa de que a desigualdade social produz uma diferença abissal entre as classes e que este problema precisa ser amenizado por meio de políticas públicas efetivas, como projetos sociais em comunidades carentes e uma maior presença do Estado nas esferas sociais menos favorecidas. Esta tese assume a existência do problema e defende o seu combate por meio de ações em conjunto entre a comunidade e o Estado.

Neste exemplo, podemos ver que não é preciso promover uma revolução utópica, ou sugerir algo inatingível na prática do dia a dia. São com argumentos que se baseiam na realidade brasileira e por meio de ações concretas e possíveis é que melhor defendemos uma tese. 

Você já entendeu a proposta, articulou o tema e criou uma boa tese, mas e depois? O que fazer? Não existe plano infalível! Agora você vai começar a selecionar as ideias complementares à tese, pois ela é o seu núcleo e é em torno dela que todo o texto precisa ser estruturado.

Pensando no exemplo acima, podemos explorar como a desigualdade iniciou em nosso país, assim como as causas que levaram a este quadro social. Além disso, podemos traçar um panorama atual da desigualdade, e partir para a conclusão elaborando perspectivas que possam levar a melhorias, como propostas para o aumento da renda dos trabalhadores assalariados e a criação de projetos sociais para comunidades de áreas periféricas e que vivem em condições de extrema pobreza.   

Importante lembrar que tudo aquilo que aparecer na introdução deve ser abordado no desenvolvimento e na conclusão. Antes de finalizar o texto, é importante repassar a leitura, para ver se não há nenhum desvio em relação à elaboração das partes do texto. Somente após se certificar de que está tudo em ordem, é que a redação pode ser passada a limpo.

Com paciência e um bom trabalho de elaboração, a sua redação vai receber uma excelente nota pelo avaliador. Siga o caminho das pedras e você vai chegar ao jardim das boas notas!

 

Bons estudos!
Profa. Angélica

Participe gratuitamente das melhores aulas de redação da internetAprenda com os nossos especialistas as estratégias para tirar mais de 900 na Redação do Enem. Vamos te ajudar toda semana pra que você faça a prova com tranquilidade e seja aprovado.
Cadastre-se