Bem vindos a mais um capítulo da nossa ‘blogsérie’ “Vida de vestibulando”. No terceiro post da série, conversamos com a Juliana, de 18 anos, sobre as diferenças em ser um vestibulando ainda no colégio e no cursinho.

A diferença básica, segundo a Ju, é que o colégio tem mais cobrança – como provas, trabalhos, notas, recuperação. Quer dizer, além de ter que se preocupar com as suas obrigações do colégio, você ainda tem que dar conta da preparação para os exames. Por outro lado, a Ju conta que passar no vestibular no mesmo ano de término do colegial é um alívio.

O cursinho, apesar de não cobrar resultados e notas do vestibulando, pode não ser muito eficaz para quem é indisciplinado com os estudos: “não ter prova [no cursinho] é bom e ruim. Não te obrigam a estudar. Se você não quiser estudar, não estuda, não há essa cobrança, nem quanto à presença. Mas com isso, a gente pode acabar relaxando demais!”. De qualquer maneira, o cursinho é uma ótima etapa para o amadurecimento. Essa ‘falta de cobrança’ já prepara o vestibulando para a sua próxima rotina, a da faculdade. Claro que há provas, trabalhos e as responsabilidades chegam a ser maiores, mas os universitários possuem mais liberdade e autonomia.

A Ju faz cursinho de manhã e uma vez por semana tem aula à tarde. Ela sente que o conhecimento que ela tem adquirido tem sido muito bem aproveitado, e não somente para o vestibular: “hoje já consigo colocar alguns conteúdos que eu aprendo numa conversa por exemplo, coisa que não fazia antes. A experiência é muito boa”. No entanto, nem sempre a Ju teve uma boa relação com a ideia de fazer cursinho: “antes de entrar, minha expectativa era muito ruim. Achava que não ia ter amigos, mas pelo contrário. Fiz amizades e está sendo muito bom. O pessoal é comunicativo e tem vida social também”. Aliás, no seu cursinho os amigos se ajudam quanto a datas, pagamentos, inscrições, relação de candidato por vaga. O assunto do momento é a preocupação sobre a mudança no vestibular da Unicamp, que vai ter a sua estrutura mais parecida com a da FUVEST.

Bom, se você está no último ano do colégio ou estudando sozinho para o vestibular, o cursinho pode ser uma boa saída. Não descarte esta possibilidade e, o mais importante, continue firme nos seus objetivos. Fico aqui torcendo! Até a semana que vem.

 

Professora Flávia

Treine redação online para o Enem em nossa comunidade gratuitaTenha seus textos corrigidos por membros da comunidade e melhore seu resultado semana após semana.