O título deste post apresenta uma pergunta que parece simples: O que é a escrita? Pergunta esta que qualquer criança poderia responder dizendo que a escrita simplesmente são letras que colocamos no papel ou na página da tela do computador. Essa resposta, entretanto, não condiz com a complexidade que há no ato de escrever, pois se fosse tão simples assim, muitas pessoas não se queixariam do medo que têm de escrever, medo este que causa diversos problemas, seja no ambiente de trabalho, seja em provas de vestibular ou em concursos públicos, enfim, em quaisquer tipos de situações em que é exigido que a pessoa escreva. Até fizemos um vídeo que fala deste medo e como certos candidatos conseguem enfrentá-lo nas provas e obter um resultado acima da média.

Monstro atacando o escritor representa o medo de escrever

O medo de escrever, no entanto, pode ser vencido se o indivíduo compreender o que é a escrita. Primeiramente, ela deve ser encarada como um processo: processo de aprendizagem, de amadurecimento. Ou seja, você nunca será um escritor como Machado de Assis se não começar a praticar a escrita. E para isso, a escrita e o texto não devem ser vistos como um produto final, mas sim como um processo, no qual há interação entre autor/texto/leitor (interlocutor).

Considerando a escrita como uma interação entre autor/texto/leitor, temos que levar em conta os conhecimentos do leitor, ou seja, precisamos conhecer quem é o nosso interlocutor e como devemos nos dirigir a ele. Saber para quem e como vamos escrever é um ponto de partida para a escrita e saber para onde estamos indo com nosso texto nos ajuda a perder o medo da página em branco, nos ajuda a encarar essa tarefa com mais confiança. Desse modo, é preciso que o autor considere o seu interlocutor e observe se a linguagem é adequada à pessoa para quem se escreve e ao propósito de seu texto.

Levar em consideração o leitor, o público alvo, é fundamental no ambiente de trabalho, por exemplo, em que é necessário escrever relatórios, ofícios, comunicados, e-mails. Um texto bem direcionado e bem escrito funciona na construção da imagem de um bom funcionário e, consequentemente, colabora para a boa imagem da empresa. Portanto, saber para quem direcionamos o texto e qual é a linguagem adequada para determinado contexto de escrita é um grande passo para o sucesso.

Abaixo, seguem algumas estratégias propostas por Koch & Elias no livro Leitura e escrita, publicado em 2009 . Estas estratégias são fundamentais no momento da escrita, para que você produza um texto coerente e de qualidade:

  • Considerar sempre o interlocutor, o assunto a ser desenvolvido, e verificar a adequação da linguagem e do formato do texto à interação em foco;

  • Seleção, organização e desenvolvimento das ideias pensando na progressão do texto;

  • Considerar o conhecimento prévio do leitor para balancear os pressupostos, as informações novas;

  • Revisão da escrita, tendo em foco o objetivo do texto e a interação que o autor quer estabelecer com o leitor.

E você? Já parou para pensar sobre o processo de escrita? Quais métodos usa para vencer a página em branco? Sabe quais os métodos utilizados pelos melhores alunos? Comente o que você achou do texto e compartilhe com seus amigos!

Shares

Compartilhe!

Basta 1 clique para compartilhar este conteúdo com seus amigos!

Shares