Olá, vestibulando
O ENEM está cada vez mais próximo; portanto, é preciso dedicar-se um pouco mais à prática da redação. Nós já falamos sobre os cinco critérios avaliados durante a correção dos textos: modalidade escrita, tema e gênero, coerência e argumentação, coesão e proposta de intervenção, seguindo os parâmetros disponibilizados no Guia do Participante de 2013. Agora, vamos observar uma redação que atingiu os objetivos necessários para obter a tão sonhada nota 1000.
 
O texto que vamos analisar também está disponível neste manual do candidato e trata do tema de 2012, O movimento imigratório para o Brasil no século XXI.
http://download.inep.gov.br/educacao_basica/enem/downloads/2012/guia_participante_redacao_enem2012.pdf
 
ring_detailsPrimeiramente, é importante considerar detalhes sobre o tema. Observamos que era necessário abordar a questão da imigração em direção ao Brasil, sob pena de redução significativa da nota. O candidato poderia sim abordar outros movimentos imigratórios, mas apenas para fazer comparação ou contextualização. Além disso, o foco do texto é o século XXI. Então, falar dos imigrantes italianos que vieram trabalhar nas lavouras de café serviria tão somente para mostrar que esses movimentos imigratórios não são novidade; porém, a inserção e dados históricos deveria culminar no que acontece na atualidade, já que este é o tema.
 
combo_chartA coletânea traz dados importantes que poderiam ser usados no texto, como a imigração de haitianos, após o terremoto que destruiu o país, além da vinda de bolivianos que buscam emprego no setor têxtil. Contudo, era preciso inserir também na redação dados que apontassem para a formação discursiva do aluno, mostrando elementos que fazem parte dos conhecimentos de mundo adquiridos por ele.
 
Vejamos então um texto avaliado e comentários sobre cada competência:
 
Imigração no Brasil: Resolver para poder crescer
Japoneses, italianos, portugueses, açorianos ou espanhóis. Durante o século XIX, muitos foram os povos que, em busca de trabalho e bem-estar social, desembarcaram no Brasil e enriqueceram nossa cultura. Atualmente, em pleno século XXI, a imigração para o Brasil mantém-se crescente, desafiando não somente nossa sociedade como também nossa economia.
Assim como os antigos imigrantes, os indivíduos que hoje se instalam em território brasileiro anseiam por melhores e mais dignas condições de vida. Muitos deles, devido à Crise Econômica originada em 2008, viram-se obrigados a se dirigir para outras nações, como o Brasil. Os espanhóis, por exemplo, por terem sido intensamente atingidos pela recessão, já somam uma quantidade expressiva na periferia de São Paulo. Diante disso, a fração da sociedade que reside em tal localidade vem enfrentando muitas dificuldades em “dividir” seu espaço, que, inicialmente, não era adequado à sobrevivência, quem dirá após a chegada dos europeus. Segundo pesquisas realizadas pelo jornal “A Folha de São Paulo”, no primeiro semestre de 2012, brasileiros e espanhois dos arredores de São Paulo vivem em constantes conflitos e a causa traduz-se, justamente, na irregularidade habitacional que ambos compartilham.
Como se não bastasse, a economia brasileira também tem sofrido com a chegada dos migrantes. Existem, entre eles, tanto trabalhadores desqualificados como profissionais graduados. O problema reside na pouca oferta de emprego a eles destinada. Visto que não recebem oportunidades, passam a integrar setores informais da economia, sem direitos trabalhistas e com ausência de pagamento dos devidos impostos. O Estado, dessa forma, deixa de arrecadar capital e de aproveitar a mão-de-obra disponível, o que auxiliaria no andamento da economia nacional.
Assim, com a finalidade de preparar a sociedade e a economia brasileiras para a chegada dos novos imigrantes, medidas devem ser tomadas. O Estado deve oferecer incentivos às empresas que empregarem os recém-chegados; essas, por sua vez, devem prepará-los para o mercado brasileiro, oferecendo treinamentos adequados e cursos de Língua Portuguesa e, ainda, garantir seus direitos trabalhistas. É imprescindível que o governo procure habitações para os imigrantes e que nós, brasileiros, respeitemos os povos que, seja no passado ou no presente, somente têm a nos acrescentar.
 
Competência 1: O texto acima apresenta excelente domínio da modalidade escrita, com vocabulário variado empregado em um texto claro, objetivo e impessoal. O único problema encontrado, o acento em “espanhóis” na primeira ocorrência da palavra, não é relevante a ponto de descontar nota nessa competência.
 
Competência 2: Com relação ao gênero, trata-se de um texto argumentativo que possui claramente proposição, argumentação e conclusão, etapas bem realizadas. Sobre o tema, ele foi desenvolvido dentro dos limites propostos, trazendo tese clara que aborda o desafio social de abrigar tantos imigrantes no Brasil. Existe bom repertório sociocultural produtivo, o que garante a nota máxima nesse critério.
 
Competência 3: Os argumentos são suficientes para comprovar a tese inicial. São, além disso, detalhados e organizados, de modo a constituírem um texto autoral, característica necessária para que este critério seja amplamente desenvolvido.
 
Competência 4: Existe bom emprego de recursos coesivos, como conectivos (assim, com a finalidade de, diante disso, visto que, entre outros), sinônimos e pronomes que evitam excessiva repetição de termos. Isso garante ótima nota nesse item avaliado.
 
Competência 5: Com relação à proposta de intervenção, é possível observar mais de uma, e bastante detalhadas, mostrando o que será feito, por quem, como e com qual finalidade. Assim, o texto garante boa nota também nessa competência.
 
E então, vamos praticar mais, vestibulando?
 
Bom trabalho e até a próxima!
Profª Aline

Treine redação online para o Enem em nossa comunidade gratuitaTenha seus textos corrigidos por membros da comunidade e melhore seu resultado semana após semana.