Olá, pessoal! Tudo bem com vocês? Hoje nós vamos tratar de um gênero que é o mais cobrado nas redações dos vestibulares: a dissertação. Você precisa pelo menos de um bom guia! Eu sei que todo mundo já está cansado de ouvir sobre isso, mas a impressão que eu tenho é que tem muito professor/curso de redação ensinando um monte de fórmulas para se fazer uma boa dissertação e nós da EscreverOnline não queremos que você fique bitolado nisso! Queremos que você saiba pensar, acima de tudo! Já ouvi gente ensinando até quantas linhas tem que ter nos parágrafos de desenvolvimento! Por favor, né?

Você não precisa disso!…

Vou propor, então, um estudo sério do gênero dissertativo, dividindo minhas observações de acordo com a estrutura básica de uma dissertação: introdução, desenvolvimento e conclusão. Para início de conversa, a sua dissertação precisa apresentar minimamente esses três elementos de forma bem desenvolvida. O número de linhas, se você deu dois dedinhos de parágrafo, tudo isso são questões secundárias.

Mas o que interfere, então, na qualidade da sua dissertação?

Vamos começar pela introdução.

Muitas pessoas usam fórmulas para iniciar um texto, talvez porque essa seja mesmo a etapa mais difícil. Não há nada de errado em usar algumas estratégias para começar a escrever, mas o principal é que, na introdução, você apresente o tema. Pode ser dando um panorâmico histórico, ou apresentando a importância do tema para a sociedade. A introdução é importante, pois é nela que você demonstra a fundação, a base de seu projeto de texto.

Ainda sobre as fórmulas na introdução, tem muita gente que faz introdução tipo samba-enredo. Eu explico! Você já viu redação que começa assim: “Desde os tempos mais remotos…”. E daí a pessoa continua. Vai da pré-história para o Egito, do Egito para Grécia e assim por diante. Dá até para imaginar isso sendo cantado em ritmo de escola de samba na voz daqueles cantores tradicionais. O fato é que não tem nada de errado em se fazer um panorama histórico sobre o tema em questão na redação, mas você deve tomar cuidado para não ficar amarrado a essa fórmula. Nada é mais importante que a sua reflexão, sua autoria. Tem gente também que faz introdução tipo Che Guevara, ou seja, não importa o tema, o cara vai colocar o capitalismo e a globalização no meio. Isso, muitas vezes, é cabível, mas não adianta usar essa estratégia pra todo tema que vier pela frente.

Bom, passamos agora ao desenvolvimento da dissertação.

Use quantos parágrafos achar necessário para isso, respeitando, é claro, o limite de linhas da prova. A dissertação é um gênero que, por sua natureza, é argumentativo. Por isso mesmo que não é recomendável usar a primeira pessoa em uma dissertação. A sua palavra/experiência não é um argumento forte o bastante para ser colocada em uma dissertação, afinal… você é o famoso quem? Muita gente não sabe escolher bem os argumentos para fazer um bom desenvolvimento do tema. Por exemplo, tem gente que somente apresenta uma ideia, sem desenvolvê-la. Se você faz isso, provavelmente terá sempre uma nota mediana em redação e não se destacará entre tantos candidatos. No desenvolvimento, o importante é você selecionar algumas ideias que queira apresentar ou defender e abordá-las de forma coerente, sem superficialidade e sem jogar ideias aleatórias. Está entendendo a estrutura da dissertação? :)

Podemos dar um exemplo de um bom parágrafo de desenvolvimento. Imagine que você está falando sobre obesidade. Daí você coloca em seu texto a informação de que o número de obesos no Brasil tem aumentado a cada dia. Isso não é um argumento completo. Isso é apenas uma informação e a dissertação, como já dissemos, é argumentativa e não informativa! Nesse exemplo da obesidade, você poderia desenvolver o parágrafo falando o motivo pelo qual o número de obesos aumenta se posicionando criticamente em relação aos causadores ou causas da obesidade. Só aí você terá um bom parágrafo de desenvolvimento.

Na conclusão tem muita gente que fica meio… preguiçosa.

Lembre-se de que a conclusão é o coroamento de uma boa introdução e de um bom desenvolvimento. Você pode retomar pontos importantes do desenvolvimento ou pode também apontar uma solução para o problema abordado no tema. É só pensar o seguinte: a maioria dos temas traz algum assunto polêmico ou algum problema. Na conclusão, portanto, nada mais natural do que você assumir um posicionamento crítico diante da polêmica apresentada ou propor uma solução concreta para o problema dado na proposta.

Bom, acho que é isso. Em termo de estrutura da dissertação, como vimos neste post, há muitas coisas mais importantes com as quais se preocupar do que número de linhas ou formulinhas que acabam limitando a sua própria capacidade de escrever. Espero que isso tenha ajudado você a entender a anatomia da dissertação!

Ah! E se você gostou deste post, compartilhe nas redes sociais e participe da discussão nos comentários logo abaixo! Informação de qualidade está cada vez mais rara! Ajude a divulgar conteúdo de qualidade – seus amigos vão agradecer :)

 

Treine redação online para o Enem em nossa comunidade gratuitaTenha seus textos corrigidos por membros da comunidade e melhore seu resultado semana após semana.